Seguidores

segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

Meu Poema de Ontem, ou Minha Prosa de Hoje

Alexandre ď Oliveira

O que eu tenho escrito, creio que a todos parece bem fácil entender. Eu me comunico com os demais numa linguagem clara que naturalmente agrade aqueles que de mim se aproxime. E eu gosto de assuntar, falar com quem seja mesmo amigo, mesmo que eu não tenha tanto tempo para passar ao seu lado, mas tenho dado um alô, ou dois dedim de prosa parece suficiente tanto para mim ,quanto para aquele que tem mais pressa.

Entendo bem cada situação. Por isto é. Portanto, também quero ser compreendido. Não faço nenhuma alusão ao tanto que vejo. Tenho uma paixão que supostamente poderá ser compreendida. Amo de repente o que faço, escrevo, e comento sobre o que mais gosto. E sendo, a beleza de tudo quanto é belo nos espera. A natureza diante de ti impera. E , eu estou pronto para dissertar em versos e prosa.

Que o mar seja bem mais atraente que a brisa que sempre vem do mais profundo do meu ser. E eu te espere trazendo seu canto. Ontem , eu podia ter morrido feliz , e eu nem sequer saberia. A vida é como uma luz que apaga, oscila nos momentos certos. E assim, aconteceu meu poema de ontem, ou minha prosa de hoje. Pois como vê em tudo que repassamos existe uma realidade.


João Pessoa 11 12 2017.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens mais visitadas

A Caverna

Google+ Followers

Follow by Email